Marlone, na busca pelo Prêmio Puskas: “Acho que o meu foi mais bonito”

Marlone posta foto em rede social com a neve, em Zurique

Meia do Corinthians concorre ao troféu com a venezuela Daniuska Rodríguez e o malaio Mohd Faiz Subri. SporTV mostra cerimônia ao vivo a partir das 15h30

O meia Marlone, do Corinthians, já está na Suíça para a festa da Fifa. O brasileiro é um dos três finalistas ao Prêmio Puskás, de gol mais bonito do ano. Os outros dois concorrentes são a venezuela Daniuska Rodríguez e o malaio Mohd Faiz Subri, e o vencedor será conhecido nesta segunda-feira, a partir das 15h30, com transmissão ao vivo do SporTV. O meio-campista do Timão está confiante e acredita que o seu gol é o mais belo.

– É meio suspeito falar disso. Acho que o meu foi mais bonito. Foram dois golaços, o dela e o dele. O meu, pela jogada, pela dificuldade do domínio, pelo movimento, foi mais bonito. Acho que merece sim ganhar. Por que não levar mais um prêmio para o Brasil? Isso é bom para o país, mais um brasileiro estar representadando o país. Se eu levar esse título, vai ser o terceiro. Acho que vai ser importante para o povo brasileiro também – disse Marlone, em entrevista ao “Tá na Área”.

O gol de Marlone foi marcado diante do Cobresal, em jogo pela Libertadores. O meia afirmou que foi também o gol mais belo da sua carreira.

– Não só por estar concorrendo ao Prêmio Puskás, mas até agora é o gol mais bonito da carreira. Por tudo que aconteceu. Eu tinha acabado de voltar de lesão, tinha ficado dois meses parado, ter voltado em um jogo importante, de Libertadores, poder ter feito esse gol em um jogo importante. Sem dúvida, foi o gol mais bonito.

Marlone marcou golaço de voleio contra o Cobresal, pela Libertadores

Marlone marcou golaço de voleio contra o Cobresal, pela Libertadores (Foto: Marcos Ribolli)

Depois do fim da temporada de 2016, Marlone teve o interesse do Atlético-MG. O meia garante que não tem nenhuma proposta e diz que está feliz no Parque São Jorge.

– Eu estou muito feliz no Corinthians, falei isso desde o começo, quando cheguei ao Corinthians. Quando você faz uma boa temporada, é normal os outros clubes se interessarem. Ainda mais jogando no Corinthians, uma marca muito conhecida. Hoje estou feliz no Corinthians, até agora não tem nada concreto. Meu foco está no Corinthians, para jogar 2017. Estou aqui representando o Brasil e o clube. Estou feliz. Hoje, eu sou Corinthians. O futuro a Deus pertence, pretendo estar aqui. A torcida tem ajudado muito nas redes sociais. Estou aqui para buscar o título tanto para o Brasil, como o para o clube.

Além do Prêmio Puskás, também serão conhecidos nesta sexta-feira os melhores treinadores, a melhor jogadora e o melhor jogador do mundo em 2016. Cristiano Ronaldo, Messi e Griezmann estão na disputa. Para Marlone, o português levará o prêmio.

– O Messi tem um dom, mas pelo ano do Cristiano Ronaldo, acho que ele leva. Foi campeão com a seleção, da Champions League, foi artilheiro. O futebol também é número. Você ter números conta muito. Eu fico com o CR7, aposto que ele ganha.

Pela primeira vez na Europa, o jogador ainda comentou o frio e a neve em Zurique, na Suíça, e afirmou que, apesar das baixas temperaturas, está aproveitando.

– Eu nunca tinha visto neve na minha vida, só pela televisão. Agora estou nessa neve, no frio. Está sendo uma experiência boa para mim, vir pela primeira vez para a Europa, concorrer entre os melhores gols do ano. Já tirei bastante foto na neve, mandei para os amigos. Estou aproveitando bastante.

Marlone pode ser o terceiro brasileiro a levar o Prêmio Puskás. Neymar e Wendell Lira já levaram o troféu. O SporTV mostra toda a cerimônia de premiação ao vivo, a partir das 15h30.

Fonte: Sportv.com

Leia também:
Fluminense finaliza ‘burocracia’, e Corinthians se aproxima de anúncio de Sornoza
Agente e advogado de Boselli são aguardados pela diretoria do Corinthians nesta quinta-feira
Corinthians e Santos finalizam detalhes para a realização de amistoso na Arena; data está definida
Quebra-cabeça: Corinthians inicia 2019 com 31 jogadores no elenco; oito são atacantes