Presidente detalha conversa com Drogba e nega intermediários

Roberto de Andrade

Mesmo tendo assinado um documento endereçado a dois agentes, Roberto de Andrade diz que eles não participaram da negociação

Um dia depois de receber a recusa de Didier Drogba e jogar a toalha pela contratação do astro mundial, o presidente Roberto de Andrade deu sua versão sobre como foi a condução do Corinthians na tentativa de contratação do veterano de 39 anos.

Segundo o dirigente, ele mesmo teve três conversas com o jogador da Costa do Marfim durante as semanas de negociação e garantiu que não houve participação de intermediários.

Apesar da oferta ter sido apresentada em carta endereçada aos agentes Gildas Samba e Franck Assunção, que coleciona algumas polêmicas recentes, Roberto disse que nunca falou com os dois.

– Não teve intermediário, as pessoas saem falando, não sei quem é Assunção, quem tratou do assunto fui eu, gostei da ideia, fomos atrás e não deu (…) Nunca foi conversado nada com esse empresário. A pessoa da Inglaterra com quem falamos pediu que fizéssemos esse papel timbrado informando essas pessoas. Porque ele não tem só um representante, tem alguns. Nosso contato foi direto com o jogador – disse Roberto de Andrade, em entrevista ao canal “Esporte Interativo”.

Andrade falou ainda sobre a nota emitida pelo clube explicando que a negociação não deu certo e agradecendo ao jogador. O comunicado virou motivo de piada de rivais nas redes sociais.

– As pessoas gostam de comentar sem ter conhecimento. Primeiro se falou que não sei quem estava em Londres (Gustavo Herbetta, ex-superintendente de marketing), o que não era verdade. O torcedor vai se alimentando e acha que o Corinthians errou. Nós tivemos alguns contatos com ele, eu falei com ele três vezes. Na nota oficial, quisemos agradecer pela recepção que ele teve com o convite – afirmou.

O dirigente garante que Drogba recebeu bem a proposta do Timão e foi atencioso nas conversas, mas não aceitou porque tem outros projetos.

– Ele ficou muito satisfeito com o convite. Quando conversei a primeira vez, há duas semanas, ele ficou de analisar. Voltamos a falar na semana passada com números e valores, ele ia consultar a família porque tinha outros projetos. Ontem (na última terça) falamos por telefone e ele me disse que ia seguir outro caminho que não o Brasil, mas que ficou contente pelo convite – explicou.

Roberto de Andrade, que promete ainda realizar algumas ações em parceria com a fundação que o jogador possui na Costa do Marfim, disse que nunca sentiu Drogba menosprezando a ideia de jogar no Brasil e de defender a camisa corintiana, teoria que ganhou força entre os rivais.

– Ele sabe o tamanho do Corinthians, sentiu o tamanho do Corinthians. Hoje nada mais é surpresa com as mídias sociais. Ele não nos menosprezou. Fizemos um agradecimento pelas conversas, pela forma como nos tratou, por sua educação.

Fonte: Globoesporte

Leia também:
Fluminense finaliza ‘burocracia’, e Corinthians se aproxima de anúncio de Sornoza
Agente e advogado de Boselli são aguardados pela diretoria do Corinthians nesta quinta-feira
Corinthians e Santos finalizam detalhes para a realização de amistoso na Arena; data está definida
Quebra-cabeça: Corinthians inicia 2019 com 31 jogadores no elenco; oito são atacantes