Feliz em Ficar: Marlone usará broche do clube no Puskás: “Gratidão”

Marlone pode ser o terceiro brasileiro a vencer o Puskás

Marlone diz que participação na final do Prêmio valoriza sua imagem e destaca desejo de continuar no Alvinegro: “O que fizeram por mim nunca vou esquecer”

Marlone já chegou a viajar 32 horas de ônibus de Augustinópolis, no Tocantins, até Belo Horizonte, Minas Gerais, para fazer uma peneira no Cruzeiro quando era criança. Em 2017, o atacante do Corinthians vai fazer uma viagem ainda maior e inédita: conhecer a Europa. Ele é um dos três finalistas do Prêmio Puskás, que elege o autor do gol mais bonito da temporada. Em entrevista ao “Planeta SporTV”, o jogador disse que portará um broche do Timão no seu terno, na cerimônia realizada em Zurique, na Suíça, como homenagem ao clube que o projetou.

– Estou ansioso. Esses dias estava até com caspa na cabeça de ansiedade. Mas que bom que estou indo conhecer a Europa com a chance de trazer um prêmio individual. Já separei o terno, para ir bonitinho, um broche para representar o Corinthians. É uma forma de gratidão por ter me proporcionado esse momento, a chance de fazer o gol.

O Prêmio Puskás reuniu gols marcados entre 30 de setembro de 2015 e 30 de setembro de 2016. Marlone concorre com o golaço marcado contra o Cobresal, pela Libertadores, quando acertou um belo voleio após matar a bola no peito. O brasileiro disputa o prêmio ao lado de Mohd Faiz Subri, da Malásia, e Daniuska Rodríguez, da Venezuela.

Caso vença a votação popular do Puskás, Marlone se tornará o terceiro brasileiro a vencer o prêmio, já que Neymar levou o troféu em 2011, e Wendel Lira faturou no ano passado. O atacante do Corinthians diz que a possível conquista vai incentivar ainda mais sua carreira.

– Acho que voltaria com outra imagem, porque é um prêmio mundial, que representa o maior evento da Fifa. Nossa imagem valoriza, traz um respeito. Volto mais confiante, mas feliz, não que eu não estava, mas incentivado que posso conseguir mais coisas, títulos.

O elenco do Corinthians se reapresenta no dia 11 de janeiro, dia em que Marlone retorna da Europa. O atacante, que se junta ao grupo no dia seguinte, destacou seu desejo de seguir no clube paulista, apesar do interesse de rivais como o Atlético-MG.

– A princípio, sou jogador do Corinthians, estou feliz no Corinthians. O que eles fizeram por mim é algo que nunca vou esquecer. Pelo simples fato de cantarem meu nome no estádio me pedindo, sendo que não sou nada, não tinha identificação com o clube, porque eu não tinha nenhuma história no clube. Na lógica, a torcida pede um ídolo. Nesse momento eu estava reserva, e a torcida comprou um barulho, e eu tive a chance de fazer esse gol. Espero repetir mais vezes.

Fonte: Sportv.com

Leia também:
Fluminense finaliza ‘burocracia’, e Corinthians se aproxima de anúncio de Sornoza
Agente e advogado de Boselli são aguardados pela diretoria do Corinthians nesta quinta-feira
Corinthians e Santos finalizam detalhes para a realização de amistoso na Arena; data está definida
Quebra-cabeça: Corinthians inicia 2019 com 31 jogadores no elenco; oito são atacantes