Léo Santos quebra silêncio, faz mea-culpa de erro na Copa do Brasil, mas promete manter estilo

Léo Santos bancou seu estilo mais técnico em entrevista concedida nesta terça-feira (Foto: Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians)

O zagueiro Léo Santos, aos 19 anos de idade, voltou a falar com a imprensa no CT do Corinthians. Foi a primeira entrevista coletiva do jogador desde a final da Copa do Brasil, quando falhou no lance do gol cruzeirense da derrota de 2 a 1 na Arena.

Dono de um estilo irreverente para zagueiros – de autoconfiança acima da média para sair jogando com a bola nos pés -, Léo Santos comentou pela primeira vez o erro que originou o gol de Barcos – tentou driblar Rafinha, acabou desarmado e deu contra-ataque para os rivais.

“Acho que o Jair tem me dado bastante confiança, sempre conversa e dá toques da maneira como devo me comportar em campo. Foi fundamental após a Copa do Brasil, tive um erro, fiquei chateado e ele me ajudou bastante, me deu confiança para eu seguir jogando do jeito que eu jogo”, contou o atleta, que foi veementemente defendido por Jair Ventura na própria noite do vice da Copa do Brasil, em entrevista concedida pelo treinador na Arena.

Novamente questionado sobre o deslize na finalíssima, Léo Santos descreveu melhor o lance. O jovem admitiu que o excesso de confiança o atrapalhou. Mesmo revelando já ter sido aconselhado a “jogar mais simples”, porém, ele afirmou que manterá seu estilo.

“Realmente, foi uma experiência ruim no momento, uma coisa que eu queria muito era ser campeão da Copa do Brasil aos 19 anos, foi bom para eu aprender. Quando jogo eu fico muito confiante, isso me atrapalhou, me senti muito confiante de dominar a bola e sair jogando, mas a gente aprende com os erros, vou tomar mais cuidado, essa autoconfiança é boa, mas pode me atrapalhar como naquele lance. Com o passar do tempo e dos jogos vou aprendendo”, começou o zagueiro, que segue titular absoluto sob comando de Ventura.

“Essa questão de jogar mais simples, sempre me orientaram, mas é uma coisa de mim, da maneira que eu jogo, não vou mudar a maneira que eu jogo e que me trouxe ao profissional por causa de um erro. Não vou forçar para não me expor, mas não vou mudar a maneira como eu jogo na minha carreira”, acrescentou.

Léo Santos subiu ao elenco profissional do Corinthians em 2016, quando tinha apenas 17 anos, e chegou ao clube alvinegro temporadas antes como jogador de futsal – era pivô. Ele soma 31 partidas pelo Timão – 27 delas somente em 2018, ano em que “estourou”.

“(…) Trabalhei muito pela oportunidade. Claro que vou aprender muito e adquirir a experiência, mas só vou aprender jogando, não adianta jogar dois jogos em 2018, dois em 2019. Tenho que ter sequência para ficar experiente e pegar essa malandragem”, alegou.

“Estou vivendo uma experiência única, infelizmente nossa fase não é das melhores. Em 2016, quando subi, o time não estava nessa situação de rebaixamento, mas também não estava bem. Eu não estava jogando, hoje estou, vou criando casca, passando por várias situações. É bom para crescer como profissional”, finalizou.

Fonte: Meu Timão

Leia também:
Fluminense finaliza ‘burocracia’, e Corinthians se aproxima de anúncio de Sornoza
Agente e advogado de Boselli são aguardados pela diretoria do Corinthians nesta quinta-feira
Corinthians e Santos finalizam detalhes para a realização de amistoso na Arena; data está definida
Quebra-cabeça: Corinthians inicia 2019 com 31 jogadores no elenco; oito são atacantes