Anelka fala sobre Drogba: “Brasil amaria Drogba”

anelka fala sobre drogba

Astro francês, falou sobre possível vinda do marfinense ao Corinthians, revela que anúncio precipitado e erros em passagens aéreas melaram acerto com Atlético-MG

Anelka é do Galo”. Toda vez que uma estrela do futebol mundial está perto de um clube brasileiro, volta à tona a postagem de Alexandre Kalil, presidente do Atlético-MG em 2014, que anunciou nas redes sociais a contratação do astro francês. Como é sabido, o reforço virou mico.

Não é diferente agora com a tentativa do Corinthians em contratar Didier Drogba. Além de revelar o motivo pelo qual a sua negociação com o clube mineiro deu errado, Anelka opinou sobre o amigo marfinense, com quem atuou no Chelsea e na China, se daria muito bem no Brasil.

Se fizeram uma oferta para o Drogba jogar no Brasil, ele irá porque ama desafios e ama o futebol. Drogba é um grande jogador. Ele ainda pode marcar gols. Se você colocar bons jogadores perto dele, ele vai fazer gols. Drogba é uma pessoa boa, tenho certeza que as pessoas no Brasil iriam amá-lo, dentro e fora de campo – afirmou o francês, em entrevista por telefone.

Fã do futebol brasileiro, Anelka ficou perto de realizar o desejo de jogar por aqui. Em 2014, Alexandre Kalil, então presidente do Atlético-MG, fez uma proposta pelo jogador que estava de saída do West Bromwich, da Inglaterra. Enquanto o francês ainda negociava com o clube brasileiro, Kalil anunciou no Twitter que o jogador já estava contratado. Mas não estava. Além disso, a desorganização das tratativas enfureceu Anelka.

Foi uma vergonha. As negociações ainda estavam acontecendo e eu estava esperando para fechar o negócio, mas o presidente falou à imprensa antes de fecharmos, e eu não gostei disso. Seria incrível jogar no Brasil, mas eu queria ter meu tempo para aceitar o acordo. Eu iria para o Brasil com meu empresário, mas, quando eles agendaram as passagens, não nos colocaram no mesmo voo, então eu decidi ficar. Ao mesmo tempo, o presidente estava falando para a imprensa que eu chegaria muito em breve. Não gostei disso. Decidi não ir e não assinar nada, mas eu gosto do clube e do Brasil – recorda o francês de 37 anos.

 

Ligação histórica com jogadores brasileiros:

Tenho ótimas memórias envolvendo jogadores brasileiros. Eu joguei com Roberto Carlos, com quem tenho boa relação. Nós ganhamos a Liga dos Campeões juntos e lembro que ele foi o primeiro a pular em mim para comemorar. Também joguei com o Leonardo em Paris. A assistência do meu primeiro gol no Paris Saint-Germain foi do Leonardo. Também tive Zico como treinador por um período curto e foi uma honra para mim ser treinado por ele. Meu jogador favorito, o primeiro e único, para toda vida, será o Ronaldo. Ele foi o melhor, ninguém será melhor. No futebol, eu só gosto de um jogador e ele é o Ronaldo, o brasileiro – crava Anelka.

Volta ao futebol:

Minha vida após o futebol está incrível. Agora cuido da minha família porque estava longe quando joguei na Índia e na China. Estou usando este tempo para ficar com os meus filhos e esposa. Sigo acompanhando o futebol e estarei de volta logo, mas não como jogador.

 

Principal momento da carreira:

Os melhores momentos no futebol foram os que eu estive em campo. Sempre sentia estar realizando um sonho. Jogar no nível mais competitivo é algo muito especial, porque há muitos jogadores, mas poucos têm a chance de jogar. O momento mais marcante foi quando eu joguei meu primeiro minuto como profissional pelo PSG, em um jogo contra o Mônaco.

 

Fonte: Globoesporte.com

Leia também:
Fluminense finaliza ‘burocracia’, e Corinthians se aproxima de anúncio de Sornoza
Agente e advogado de Boselli são aguardados pela diretoria do Corinthians nesta quinta-feira
Corinthians e Santos finalizam detalhes para a realização de amistoso na Arena; data está definida
Quebra-cabeça: Corinthians inicia 2019 com 31 jogadores no elenco; oito são atacantes